Notcias

Pesquisadores da USP lanam livro sobre fluoretao da gua no Brasil

12/01/2018


Os professores Paulo Frazão e Paulo Capel Narvai, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP/USP) lançaram recentemente o livro Cobertura e vigilância da fluoretação da água no Brasil: municípios com mais de 50 mil habitantes, voltado em especial aos técnicos, gestores e pesquisadores que atuam nas áreas de Saúde Coletiva, Saneamento e Odontologia. O livro é resultado do projeto Cobertura e Vigilância da Fluoretação da Água de Abastecimento Público no Brasil (Projeto Vigifluor), iniciativa de cultura e extensão da Universidade de São Paulo na esfera da Faculdade de Saúde Pública para mapear a cobertura da fluoretação das águas de abastecimento público, de 2010 a 2015, nos 614 municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes.

O livro foi coordenado pelos professores da FSP/USP e está estruturado em doze capítulos com textos de pesquisadores e outros profissionais de diferentes regiões do país.  O Centro de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo (CVS) participou da sua elaboração com o texto Potabilidade da Água e Controle do Risco Sanitário: uma visão a partir do contexto paulista, do diretor da área de Meio Ambiente do CVS, Sérgio Valentim.

O CVS e a FSP/USP têm mantido frequentes contatos para melhor avaliar e garantir a fluoretação da água distribuída à população paulista. O Programa de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano no Estado de São Paulo (Proágua), coordenado pelo CVS, colaborou com dados para o Projeto Vigifluor e ambas as instituições promoveram em 2015, na FSP/USP, o 5º Seminário Água e Saúde com o tema Saúde Bucal e Fluoretação: um construir coletivo. O evento levou a outras iniciativas conjuntas, como um livro a ser lançado em 2018: Fluoretação das águas no Estado de São Paulo, e tratativas para a instituir um Grupo de Trabalho Interinstitucional voltado ao aprimoramento da fluoretação das águas de abastecimento público no Estado de São Paulo.

Na mesma linha de integração da gestão pública com a academia, em novembro de 2017, Mariângela Cruz, da área de Meio Ambiente do CVS, obteve o título de Doutor em Ciências na FSP USP ao defender a tese “Cárie e fluoretação das águas em dois municípios brasileiros com baixa prevalência da doença, na segunda metade da década do século XX”.

Essas ações estão alinhadas com o Projeto Promoção e Qualidade de Vida – Fluoretação das Águas de Abastecimento Público no Estado de São Paulo, iniciativa do CVS, no âmbito do Proágua, para garantir água potável e saúde bucal à população paulista.